“Tieta”, penúltima novela de Lídia Brondi, completa 25 anos

Lídia Brondi, Betty Faria e Cássio Gabus Mendes em cena de "Tieta".

Lídia Brondi, Betty Faria e Cássio Gabus Mendes em cena de “Tieta”.

No dia 14 de agosto de 1989, a Globo levava ao ar a novela “Tieta“, de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretszohn e Ricardo Linhares. Um grande sucesso da história da teledramaturgia, “Tieta” reuniu um elenco de peso e contou com a participação de Lídia Brondi, em um dos papéis mais dramáticos de sua carreira.

Após o sucesso de “Vale Tudo“, Lídia voltava ao horário nobre como a romântica Leonora Cantarelli, que escondia seu passado como garota de programa e sofreu muito até o final feliz com Ascânio (Reginaldo Faria).

Reginaldo Faria e Lídia Brondi fizeram mais uma parceria de sucesso na TV.

Reginaldo Faria e Lídia Brondi fizeram mais uma parceria de sucesso na TV.

Lídia Brondi considerou a personagem muito difícil, pois Leonora tinha uma personalidade oposta ao seu jeito agitado. Sobre o papel, Lídia disse:

Inicialmente duvidei se conseguiria viver um papel do tipo da Leonora, ou seja, se eu seria capaz de abafar todo o meu fogo para interpretar uma mulher sofredora e que só escolhe caminhos que não dão certo. Mas ela é um acréscimo na minha carreira de atriz, pois só eu sei o quanto pra mim é difícil, complicado, apagar a minha luz e encontrar uma outra luz, que é justamente a da infelicidade.

Lídia Brondi, em entrevista para “O Dia”, de 03/12/1989.

Os 25 anos da novela foi lembrado pelo Nilson Xavier, que publicou um texto e uma galeria de imagens com o antes e o depois de alguns dos principais artistas do elenco. Confira AQUI.

Abaixo, uma das muitas capas que Lídia estampou como a Leonora de “Tieta“.

unnamed

Confira galeria de imagens publicadas no blog com fotos de Lídia Brondi em “Tieta“:

“O Livro das Mulheres Extraordinárias”: Lídia Brondi aparece em nova obra de Xico Sá

detalhe de foto da Playboy, de 1980Lídia Brondi é uma das 127 musas brasileiras citadas na mais nova obra de Xico Sá: “O Livro das Mulheres Extraordinárias”. O escritor e jornalista faz sua “declaração pública de amor eterno” a cada uma dessas mulheres que marcaram gerações.

Quem acompanha um pouco a carreira do genial Xico Sá, sabe de sua admiração dor Lídia. Ela já foi citada em outros textos do jornalista, que é uma das mais brilhantes cabeças da literatura atual. Recentemente, Lídia foi lembrada por ele, durante a exibição do “Saia Justa” (GNT).

Em um de seus últimos textos sobre Lídia, Xico escreveu:

Eu amo Lídia Brondi. Sempre foi musa de tantos enovelados jantares no Crato e no Recife. Educação sentimental televisiva na hora em que estamos comendo, na mais familiar das mesas, é sentimento para sempre.

Eu amo Lídia Brondi e comigo uma legião sem fim pelos Brasis rurais e universais. Amo a nacionalíssima beleza de Lídia Brondi, suburbanos corações ainda sem a indecente correção da ortodentia de hoje e outros tantos absurdos.


Entre as musas de Xico Sá em seu mais recente livro estão Lídia Brondi, Vera Fischer, Camila Pitanga, Claudia Abreu, Nicolle Puzzi, Sonia Braga, Juliana Paes, Débora Fababella, Fernanda Lima e Leandra Leal.

O Livro das Mulheres Extraordináriaspode ser adquirido na internet. A foto que ilustra esse post é um detalhe de uma das fotos da revista “Playboy“, de 1980.

Lídia Brondi, mesmo longe da TV, é vítima da imbecilidade de um perfil falso

perfil falsoO perfil falso de Lídia Brondi no Facebook, chamado de “Lídia Brondi Oficial” (veja print da página), deu mais um exemplo de como a imbecilidade está presente na internet.

Com a desculpa de querer se resguardar (repetindo o discurso da verdadeira Lídia Brondi), o farsante nunca coloca uma foto atual da atriz que virou psicóloga. Bem, não colocava até divulgarmos a mais recente foto de Lídia, ao lado de com Cássio Gabus Mendes, feita no dia 26 de julho, no Teatro Alfa, em São Paulo.

O criminoso (porque falsidade ideológica é crime) catou logo a imagem, sem dar créditos, e escreveu que postou a foto atendendo a diversos pedidos. É inacreditável a falta de vergonha! O pior é que mais de duas mil pessoas curtem a página e muitos comentam, acreditando ser a própria Lídia Brondi.

Mesmo avisando, fazendo campanha no blog, muita gente continua curtindo ou preferindo não acreditar. Quem é mais cuidadoso logo percebe que é uma fraude. Outros não aceitam mesmo depois de avisados. Além de toda a obviedade de que trata-se que um perfil fake, sabemos que Lídia Brondi não tem rede social, não comenta seus trabalhos como atriz e prefere manter-se discreta.

Enquanto fazemos o trabalho de atualizar o blog e a fan page, para reunir os fãs de Lídia, com todo o respeito e admiração que ela merece, surge alguém disposto a fazer algo tão sem propósito. A página falsa merece ser denunciada, receber comentários para alertar as pessoas e ser reconhecida como a grande farsa que é.

Você, que é fã da Lídia e de seu trabalho, ajude, como puder, a acabar com esse perfil. Denuncie, deixe recado no mural da página alertando as pessoas, espalhem essa informação. E curta nossa fan page (basta clicar na imagem abaixo).divulga-face

Em “Espelho Mágico”, Lídia Brondi alcança o sucesso

fOTO - SÉTIMO CÉU - SÉRIE AMOR - Nº 59 - AGOSTO 1977Numa época em que jovens atores tinham pouco espaço na televisão, Lídia Brondi se destacou ao lado de veteranos como Juca de Oliveira, Tarcísio Meira e Glória Menezes. Foi ao lado desses atores já consagrados, fazendo a rebelde Beatriz da novela “Espelho Mágico” (1977), que a jovem Lídia, aos 17 anos, chamou a atenção do público e da TV Globo. E se tornou sucesso.

Na matéria da revista “Sétimo Céu – Edição Amor”, de agosto de 1977, em que Lídia aparece em uma bela foto de Sérgio de Souza, a jornalista Verônica Guedes descreve a trajetória de dois anos da jovem até aquele momento. Desde a sua estreia na Globo, na novela “O Grito” (1975), Lídia Brondi foi ganhando espaço e estourou, em todo país, como uma das grandes promessas da TV.

Apesar de curtir a fase, Lídia demonstrava sua preocupação em aprimorar o talento. Tanto que desejava encontrar tempo para se dedicar ao teatro, o que ela só começaria a fazer três anos depois, em 1980. A reportagem também cita as semelhanças da personagem Beatriz com a história de vida de Lídia, que fez uma análise sobre as descobertas e transformações que estava vivendo:

(…) comecei a questionar com maior profundidade sobre uma porção de coisas, como trabalho, gente, amor. O amor, por exemplo, é muito mais do que uma troca. Mas não adianta se perder em definições. É mais para assumir do que ficar falando a toda hora.

Confira abaixo a matéria completa. O material faz parte do acervo do José Henrique Uessler e foi gentilmente compartilhado pelo Césio Vital Guaudereto no seu blog “Revista Amiga e Novelas“.

SÉTIMO CÉU - SÉRIE AMOR - Nº 59 - AGOSTO 1977

Ela apareceu! Lídia Brondi curte musical ao lado de Cássio Gabus Mendes

Lídia e Cássio Gabus em 20 de julho de 2014

O casal Lídia Brondi e Cássio Gabus, em São Paulo, no último sábado, 26 de julho.

NOVIDADE: Lídia Brondi apareceu, linda e feliz, ao lado do marido, o ator Cássio Gabus Mendes, no último sábado (26). O casal foi curtir o espetáculo “Elis, A Musical“, no Teatro Alfa, em São Paulo.

Um ano após o casamento que celebrou seus 20 anos de união com Cássio, Lídia Brondi “reaparece” e isso é sempre motivo de comemoração para os saudosos fãs. A foto foi publicada na página de “Elis, A Musical”, no Facebook, com a legenda “Lídia Brondi e Cássio Gabus Mendes aguardando o espetáculo começar!”.

Valeu pela informação, Lufe Steffen! Abaixo, segue a imagem na íntegra. Lídia e Cássio - Teatro Alfa - Elis, A Musical

Já curtiu? O blog com tudo sobre Lídia Brondi também está no Facebook

divulga-faceNosso blog agora também está disponível no Facebook. Tanto lá quanto aqui, os fãs de Lídia Brondi vão poder matar as saudades dessa atriz que fez história. CLIQUE NA IMAGEM ACIMA para ser levado para nossa fan page. Curta, compartilhe, convide seus amigos e fãs da grande Lídia Brondi.

Lembrando que estamos fazendo uma homenagem a ela e criando mais um espaço de interação para os fãs. Não estamos nos passando por Lídia Brondi, como vem acontecendo com um perfil falso que insiste em enganar as pessoas. O endereço http://www.facebook.com/LidiaBrondi é para os fãs e admiradores de verdade!

Lídia Brondi prestigiando livro do pai, em 1977

Image (23)Pai de Lídia Brondi, o pastor Jonas Resende é autor de vários livros. Um deles, “Deus Fora do Espelho“, foi lançado em 1º de dezembro de 1977. Lídia Brondi sempre prestigiou o trabalho do pai e, naquele ano, não foi diferente, mesmo na vivendo a correria da reta final da novela “Espelho Mágico“.

Na nota, publicada na revista “Amiga“, de 21 de dezembro de 1977, que falou do lançamento da obra, Lídia Brondi comentou sobre a relação de respeito entre ela e seu pai. “Estamos sempre um ao lado do outro quando é necessário uma força”, disse a jovem atriz.

Em 1997, Lídia Brondi, já afastada da carreira artística, foi flagrada em outra cena de carinho em lançamento de um outro trabalho do pai. O registro foi publicado na revista “Amiga” e já foi postado aqui no blog.

Confira, abaixo, três momentos de Lídia Brondi com seu pai, o pastor, sociólogo e teólogo, Jonas Resende.

Raridade: uma fotonovela estrelada por Lídia Brondi

Lídia - FotonovelaAs fotonovelas, estilo muito comum nos anos 70, eram um atrativo a mais das revistas que falavam sobre a vida dos artistas. Atores e atrizes da televisão estrelavam as tramas contadas por meio de fotos e balões, como nas histórias em quadrinhos.

Lídia Brondi não ficou de fora dessa onda. Em 22 de junho de 1977, menos de 15 dias após a estreia de “Espelho Mágico” nas telas da Globo, Lídia, aos 17 anos, pode ser vista como Glorinha, sua personagem na fotonovela “Assim Nasce uma Estrela“.

A história, da Central Bloch de Fotonovelas, é ingênua e simples: fala sobre um grupo de jovens que busca vencer um festival de música na escola e alcançar a fama. Lídia faz a namorada do protagonista, interpretado pelo ator Tião D’Ávilla, que atuou em novelas como “Caminho das Índias” (Globo, 2009), “Ribeirão do Tempo” (Record, 2010), “Mulheres Apaixonadas” (Globo, 2003), “Tocaia Grande” (Manchete, 1997) e “Estúpido Cupido” (Globo, 1976), dentre outras.

N O T A : Há tempos, planejava colocar esse material aqui no blog. O Alperi Martins me enviou, pelos Correios, essa fotonovela com Lídia, em 2012. Infelizmente, nunca encontrei tempo de digitalizar o material. Até que o Césio Vital Gaudereto, do “Revista Amiga e Novelas“, que também tinha a fotonovela, publicou a história, em seu blog, na semana passada.

Agradecemos, sempre, a participação de pessoas como o Alperi e o Césio, que possuem essas raridades e estão sempre dispostos a dividi-las. Obrigado, Césio, pelo presente em seu blog, pelo trabalho de digitalizar e organizar esse tipo de material, e por manter em seu blog parte da história da TV, que, como consequencia, traz sempre algo sobre Lídia Brondi.

Confira o conteúdo completo da fotonovela (para visualizar alguns quadros, clique nas imagens para ampliar):

0102 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25

 

Dos tempos de “À Sombra dos Laranjais”

L583

A jornalista Maria Rosa Pecorelli ficou encantada com o jeito meigo, simples, alegre e agitado de Lídia Brondi, durante uma entrevista para a “Sétimo Céu“, de março de 1977. Foi assim que ela apresentou a jovem atriz em seu texto, publicado na edição de nº 54 da revista. Aos 17 anos, Lídia estava no ar como a doce Lúcia, da novela “À Sombra dos Laranjais“, de Benedito Rui Barbosa.

A reportagem relembra a infância e o início da carreira de Lídia, desde os tempos de teatro amador na igreja até o papel-título da série “Márcia e seus Problemas“, da TVE, personagem que ela interpretou por um ano e meio até ir para a Globo.

Uma curiosidade da matéria é que Lídia cita o interesse pela psicologia, profissão que ela assumiria anos mais tarde, ao deixar de ser atriz.

Dois momentos de Lídia em "À Sombra dos Laranjais": com Marcelo Picchi e o palhaço Toquinho.

Dois momentos de Lídia em “À Sombra dos Laranjais”: com Marcelo Picchi e o palhaço Toquinho.

O texto é ilustrado com fotos de João Silva, mostrando Lídia com o ator Marcelo Picchi e o palhaço Toquinho, seus companheiros de cena de “À Sombra dos Laranjais“.

A revista também citou o papel de Lídia Brondi em “O Grito“, mas errou ao publicar a foto. É que a imagem mostra Françoise Forton e não Lídia, em uma cena da novela, ao lado dos atores Walmor Chagas e Isabel Ribeiro.

O material faz parte do acervo de José Henrique Uessler e foi publicado no blog “Revista Amiga e Novelas“, do Césio Vital Guaudereto. Clique na imagem abaixo para ampliar e conferir a matéria na íntegra.

Revista Sétimo Céu n. 54 - Março de 1977 - Blog Revista Amiga e Novelas

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 56 outros seguidores