Sobre Lídia Brondi

Lídia Brondi Resende nasceu em Campinas (SP), no dia 29 de outubro de 1959. É filha do pastor Jonas Resende e da professora Lília.

Estreou como atriz em 1975, na TV Educativa, interpretando a personagem-título na série “Márcia e seus problemas”. No mesmo ano, foi escolhida pelo diretor Walter Avancini para fazer parte da novela “O Grito”, na Rede Globo.

Na sequência, emendou os trabalhos “O Feijão e o Sonho” e “À Sombra dos Laranjais”. Em 1977, ganhou destaque como Beatriz na novela “Espelho Mágico”.

A consagração veio em “Dancin’ Days” (1978), novela de Gilberto Braga. Na pela de Vera Lúcia, a Verinha, ela conquistou o coração dos telespectadores e subiu para o primeiro time de atores da Globo.

Em 1979, Lídia viveu Renata na polêmica novela “Os Gigantes”, de Lauro César Muniz. O autor chegou a insinuar uma relação entre as personagens Renata e Paloma (Dina Sfat), que formariam o primeiro casal lésbico na história das telenovelas.

Lídia se destacou como Mira Maia em “Baila Comigo”; a vilã Joyce em “O Homem Proibido”; Suzy em “Final Feliz”; Luciana em “Transas e Caretas” e Tânia Malta em “Roque Santeiro”.

Em 1987, Lídia é a grande estrela da edição de aniversário da “Playboy”. No mesmo ano, ela roubava a cena como a repórter Bárbara Diniz na novela “Corpo Santo”, na Rede Manchete, sua única incursão fora da Rede Globo.

Também em 1987, viveu Alice no filme “Rádio Pirata”, de Lael Rodrigues, sua última aparição no cinema. Antes, ela tinha feito outros dois filmes: “O Beijo no Asfalto” e “Perdoa-me por me Traíres”.

De volta à TV Globo, em 1988, Lídia Brondi interpreta Solange Duprat em “Vale Tudo”. Com visual marcante e envolvida na trama central, Solange é uma das personagens mais lembradas da carreira de Lídia.

No ano seguinte, participa de mais um grande sucesso da teledramaturgia: “Tieta”, de Aguinaldo Silva, interpretando a sofrida Leonora. Em 1990/91, vive Fernanda Castro em “Meu Bem, Meu Mal”, seu último papel nas telenovelas.

Seu último trabalho como atriz foi a peça “Parsifal”, em 1992. Nos anos seguintes, afastou-se do meio artístico, rejeitou diversos convites para retornar às novelas e preferiu dedicar-se à família e aos estudos.

Formou-se psicóloga, mas ainda é lembrada como a competente atriz que conquistou uma legião de fãs e brilhou no cinema, no teatro e na TV.

Mãe de Isadora (nascida em 1985), fruto de seu casamento com o diretor Ricardo Waddinton, Lídia Brondi vive em São Paulo e é casada com o ator Cássio Gabus Mendes.

Anúncios