Cena de 'O Feijão e o Sonho', com Lauro Góes e Lídia Brondi.

Cena de ‘O Feijão e o Sonho’, com Lauro Góes e Lídia Brondi.

O segundo papel de Lídia Brondi em novelas foi a jovem Irene, em “O Feijão e o Sonho“. Exibida entre junho e outubro de 1976, a trama foi escrita por Benedito Ruy Barbosa, baseada na obra de Orígenes Lessa, com direção de Herval Rossano.

Lídia fazia uma das filhas da protagonista Maria Rosa, personagem de Nívea Maria. As duas atrizes voltariam a fazer os papéis de mãe e filha, 15 anos mais tarde, na novela “Meu Bem, Meu Mal“.

O diretor Herval Rossano fez uma análise sobre a novela em uma das edições da revista “Amiga“, naquele ano, na reta final da novela. Entre as críticas positivas e negativas à obra, ele destacou Lídia Brondi e Élcio Romar como “dois atores jovens” revelados em “O Feijão e o Sonho“.

O material foi publicado pelo Césio Vital Gaudereto em seu blog “Revista Amiga e Novelas“, em um post sobre a trama da Benedito Ruy Barbosa. Confira o conteúdo clicando AQUI. As imagens abaixo fazem parte desta publicação feita pelo Césio.

Maria Rosa (Nívea Maria) entre as filhas Anita (Míriam Rios) e Irene (Lídia Brondi).

Maria Rosa (Nívea Maria) entre as filhas Anita (Míriam Rios) e Irene (Lídia Brondi).

Rubinho (Lauro Góes) e Irene (Lídia Brondi) em cena de "O Feijão e o Sonho".

Rubinho (Lauro Góes) e Irene (Lídia Brondi) em cena de “O Feijão e o Sonho”.

Anúncios