Arte do programa da peça “George Dandan”. Angélica, personagem de Lídia Brondi, é representada no centro da imagem.

O segundo semestre de 1989 foi de muito trabalho para Lídia Brondi. Além de atuar na novela “Tieta”, como Leonora, a atriz era um dos principais nomes da peça “George Dandan”, ao lado de Rubens Corrêa – o ator preferido de Lídia.

Na peça, dirigida por Ivan de Albuquerque, Lídia Brondi interpretou Angélica, uma jovem filha de nobres falidos, vendida pelos pais para George Dandan (Rubens Corrêa).

O espetáculo estreou no dia 2 de setembro de 1989, no Teatro Ipanema. Dividida em três atos, a peça era baseada no original de Molière. “George Dandan” foi apresentada 84 vezes, ficando em em cartaz até 7 de janeiro de 1990 (menos de três meses antes do fim de “Tieta”).

Lídia Brondi (ao lado de Fernando Eiras – de chapéu preto) e o elenco de “George Dandan”.

Além de Rubens Corrêa e Lídia Brondi nos papéis centrais, a peça contou com Fernando Eiras, Beth Erthal, Nildo Parente, Luiz Maçãs, entre outros. Lídia Brondi definiu o espetáculo como uma comédia capaz de “provocar um sorriso triste”. As fotos e os dados sobre a peça foram publicados na biografia “Rubens Corrêa: um salto para dentro da luz“, da Imprensa Oficial, escrita por Sérgio Fonta.

Anúncios