Lídia e Reginaldo, como Leonora e Ascânio de "Tieta".

Em 1993, Lídia Brondi foi convidada para protagonizar a minissérie “Contos de Verão” ao lado de Reginaldo Faria. Seria o seu segundo papel com o nome de Glorinha (sua personagem em “Perdoa-me por me traíres”) e o sétimo trabalho de Lídia com o ator.

Com a recusa de Lídia, o papel ficou para Vera Zimmerman, que tinha feito sucesso como a Divina Magda de “Meu Bem, Meu Mal”. “Contos de Verão” foi escrita por Domingos de Oliveira, com direção geral de Roberto Faria. Com 16 capítulos, foi ao ar entre abril e maio daquele ano. Em dezembro de 2011, ganhou uma reprise no Canal Viva.

Parceria – Lídia e Reginaldo iniciaram a parceria em “Dancin’ Days” (1978). Se esbarraram no mesmo núcleo de “Baila Comigo” (1981), fizeram parte do elenco de “Transas e Caretas” (1984) e voltaram como par romântico em “Corpo Santo” (1987). Depois, duelarem em “Vale Tudo” (1988) e, em “Tieta” (1989), voltaram como um dos casais principais da novela.

Os atores eram amigos fora das telas. Lídia chegou a ser citada em um trecho da biografia do ator, numa viagem com uma turma para Friburgo, no carnaval de 1981, quando a atriz namorava o ator Júlio Braga. Em “O Solo de um Inquieto”, de Wagner de Assis, Reginaldo lembra do episódio em que os jornais disseram que ele tinha sido preso por porte de maconha, quando, na verdade, estava curtindo o carnaval em Friburgo com os amigos.

A imagem abaixo foi publicada na página 149 da biografia de Reginaldo Faria. Nela, o ator aparece com Lídia Brondi e Cássio Gabus Mendes nas gravações de “Vale Tudo”.

Lídia, Cássio e Reginaldo, em foto publicada no livro "O Solo de um Inquieto", da Coleção Aplauso, biografia editada pela Imprensa Oficial.

Anúncios