Aos 17 anos, no primeiro semestre de 1977, Lídia Brondi era uma jovem atriz da Rede Globo e estava em sua terceira novela: “À Sombra dos Laranjais”, escrita por Benedito Ruy Barbosa e Sylvan Paezzo. Naquela época, a revista “Amiga” publicou uma matéria em que a atriz analisava o comportamento dos jovens de sua geração.

A reportagem, escrita por Jana de Paula, revelava as opiniões fortes e o senso crítico da adolescente Lídia Brondi. A atriz disse que não se identificava com os jovens de sua geração e falou sobre sua personagem em “À Sombra dos Laranjais” (Lúcia).

Lídia também comentou sobre o fato de gostar de conversar com pessoas mais maduras, falou sobre drogas e ingenuidade. Em sua análise sobre o feminismo, ela disse:

Acho o feminismo ridículo. (…) Hoje não sinto qualquer diferença entre mim e os homens, nem estou querendo provar que sou igual a eles.

A matéria foi especialmente enviada pelo Césio Gaudereto, autor do blog “Revista Amiga e Novelas“. Lá, ele mantém um acervo de revistas que relembram astros e novelas de todos os tempos (vale a pena conferir!).

Para ampliar e ler a reportagem na íntegra, clique na imagem abaixo:

Anúncios