Não foi só depois de “Meu Bem, Meu Mal” (1991) que Lídia Brondi passou a recusar convites. Mesmo no início de sua carreira como atriz, no final dos anos 70, ela sempre soube dizer não. Principalmente, quando recebia propostas para posar nua ou estrelar um filme nacional.

Uma das recusas foi para um papel no filme “O Caso Cláudia”, de Miguel Borges. Baseado em fatos reais, a obra retratava um famoso acontecimento no Rio de Janeiro: o assassinato da jovem Cláudia Lessin Rodrigues.

A informação pode ser confirmada na nota abaixo, gentilmente enviada pelo Alperi Martins, e publicada na revista “Amiga”, na época em que Lídia Brondi estava no ar na Globo, na pele da jovem Verinha, de “Dancin’ Days”:

Em 1979, quando fazia a Renata, de “Os Gigantes”, Lídia também recusou viver o papel principal de “Bonitinha, mas ordinária”, da obra de Nelson Rodrigues, personagem que ficou para Lucélia Santos. Ao contrário do que diz a nota abaixo (também enviada pelo Alperi):

Anúncios