Foi na peça “Parsifal”, que estreou em março de 1992, que Lídia Brondi trabalhou como atriz, pela última vez, antes de abandonar a carreira. A imagem acima é  um registro de Lídia na peça de Jorge Takla, baseada na ópera “Parsifal”, de Richard Wagner.

Cássio Gabus Mendes dividia as cenas com a atriz. Além disso, assinou, ao lado dela, a produção do espetáculo. No ano de lançamento da peça, o casal ainda apareceu no comercial de uma promoção da “Cica”, que era exibido pelo SBT.

Encontrei na internet trechos de uma crítica sobre “Parsifal”, publicada na revista “Panorama”. O texto elogia a atuação de Lídia, que aparecia em quatro papéis diferentes. Confira:

“Parzifal ou Parsifal é um rapaz valente, ‘um bobo de coração puro, que parte em busca de um talismã miraculoso’ — o lendário Santo Graal.

Cássio Gabus Mendes, um baby face, domina o código do ‘bobo de coração puro’ que já exercitou em telenovela, mas reflete ainda uma inexperiência de palco que lhe dá mobilidade mecânica.

Lídia Brondi, com beleza, personalidade e bons recursos de voz para os quatro papéis que lhe cabem, impõe-se como ponto alto de um conjunto que no mais é achatado pela exuberância do som wagneriano”.

Anúncios