Lídia Brondi, em 1997.

Dez anos após sua última novela, Lídia Brondi voltou a ser notícia quando seu pai, o pastor Jonas Rezende, publicou o livro “A Família Maldita: memória, fantasia, delírio”.

Durante a divulgação da obra, Jonas Rezende apareceu em vários meios de comunicação e falou sobre o sumiço da filha (o que acabou sendo mais comentado que o próprio livro).

A revista “Minha Novela” publicou, em 2001, uma matéria de duas páginas relembrando a vida e os melhores momentos da carreira de Lídia Brondi.

A reportagem ainda trouxe informações sobre os motivos que teriam levado a atriz a abandonar a televisão no auge do sucesso.

Segundo aponta a revista, o pai de Lídia Brondi afirmou que a filha se desiludiu com o mundo artístico, com a “fogueira das vaidades” nos bastidores. Aliado à isso, Lídia teria vivido uma “tragédia pessoal”, com a perda de parentes próximos a ela.

No ano da publicação desta matéria, a atriz já estudava Psicologia e trabalhava em um grupo de terapia para idosos. A revista trouxe fotos da vida pessoal de Lídia e de personagens de destaque das novelas.

A reportagem foi gentilmente enviada pelo Alperi Martins. Clique nas imagens para ampliar:

Anúncios