1. O time: Daniel Filho, Ney Latorraca, Tarcísio Meira, Christiane Torloni, Bruno Barreto e Lídia Brondi;

2. Um close de Lídia durante a gravação da cena em que Dália limpa uma agressão contra o cunhado escrita na parede de sua casa;

3. A paixão de Dália pelo enigmático Arandir.

A adaptação de Bruno Barreto de “O Beijo no Asfalto”, de Nelson Rodrigues, é um clássico do cinema nacional. Sem dúvida, um dos melhores momentos da carreira de Lídia Brondi.

Dália é uma das figuras centrais da história, que ganhou muita força com a interpretação de Lídia. Às vezes, menina, outras mulher, Dália ganhou mais verdade ao ser vivida por Lídia Brondi, uma atriz com o tipo perfeito para viver uma personagem rodriguiana.

Abaixo, segue uma crítica da “Veja”, de 15 de junho de 1981. Nela, Bruno de André critica a releitura que Bruno Barreto deu ao drama de Nelson Rodrigues.

Na minha opinião, o filme (não só por ter a Lídia no elenco) é um dos melhores do cinema brasileiro. O elenco é perfeito, a condução de Bruno Barreto é brilhante e o final é surpreendente (nota dez para a fotografia!).

A página foi gentilmente enviada pelo Alperi Martins. Clique para ampliar:

Anúncios