Uma reportagem em primeira pessoa, escrita pela jornalista Anna Cláudia, aponta a coerência e sabedoria de uma jovem atriz de sucesso.

É assim que Lídia Brondi se revela na matéria da revista “Love Story”, de 1978.

No auge do sucesso como a Verinha de “Dancin’ Days”, Lídia falou do início de sua carreira e da – até então – maior emoção de sua vida profissional: quando recebeu a primeira carta de um fã, durante a novela “À Sombra dos Laranjais” (o sortudo recebeu uma carta de Lídia como resposta!).

O namoro com Kadu Moliterno, o apoio de Tarcísio Meira e Glória Menezes durante as gravações de “Espelho Mágico”, a relação com o pai e a preocupação com o futuro também são assuntos desta reportagem – material gentilmente enviado pelo Alperi Martins (mais uma vez, obrigado!).

Kadu Moliterno e Lídia Brondi: namorados em 1978.

O mais interessante de tudo é que Lídia Brondi já falava da possibilidade de, um dia, seguir outra carreira.

“Eu acho que, por trabalhar esse tempo em TV, eu tenho uma firmeza profissional como atriz. Mas acontece que nada impede que daqui a dez anos eu queira estar em outras áreas.

Por isso, planejava prestar vestibular para Biologia e Psicologia, profissão que abraçaria, anos mais tarde, depois de abandonar a carreira de atriz. Olha o que ela disse:

“Psicologia me fascina pelo lado do mergulho na alma das pessoas; biologia me encanta porque eu adoro genética. Enfim, vou me preparar da maneira que der, porque eu tenho que viver”.

Com o ator Lauro Góes, na novela “O Feijão e o Sonho”.

As fotos que ilustram esse post fazem parte da matéria de quatro páginas da revista “Love Story”. Clique abaixo sobre as imagens para ler essa interessante matéria na íntegra:

Anúncios