"Lúcio" (Lídia Brondi) e Juan Carlos (Élcio Romar), o homem-gorila: personagens da novela "À Sombra dos Laranjais".

Contar histórias de personagens que têm que se passar pelo sexo oposto é um recurso bastante usado no cinema e nas novelas. Recentemente, no filme “Salt”, a personagem da musa Angelina Jolie se veste de homem para fingir ser um agente da CIA.

Lídia Brondi também viveu essa aventura na novela “À Sombra dos Laranjais” (Globo, 1977). Sua personagem Lúcia, por exigência de seu pai, Álvarez (Paulo Gonçalves), andava vestida como um rapaz. Isso porque seu pai, que era dono do circo, acreditava que, desta maneira, sua filha não sofreria assédio dos homens.

Mesmo assim, Lúcia acaba se envolvendo com Júnior (Marcelo Picchi), que percebe a beleza da jovem por trás das roupas masculinas. O drama do rapaz passa a ser, então, a querer ir embora com o circo, deixando para trás sua promissora carreira política.

Abaixo, duas matérias com os acontecimentos de “À Sombra dos Laranjais”, a terceira novela da carreira de Lídia Brondi. O material foi gentilmente enviado por Alperi Martins.

Matéria da revista “Contigo!”, de 1977 (clique nas páginas para ampliar):

Matéria da revista “Ilusão”, de 1977 (clique sobre a imagem para ampliar):

Anúncios