A matéria abaixo foi publicada na edição de 17 de março de 1991 do jornal “O Dia”. O texto é de Eliette Peixoto. Além de falar sobre a personagem de Lídia Brondi em “Meu Bem, Meu Mal”, a matéria “Uma atração fatal para Fernanda” fala sobre os planos da atriz em montar uma peça com Marcos Paulo e sobre seu namoro com Ricardo Waddington.

Cássio Gabus Mendes e Lídia Brondi como Doca e Fernanda.

O futuro amoroso de Fernanda, o pivô do plano de vingança de Berê e Mimi contra a malvada Isadora, ainda é uma incógnita. Nem mesmo a atriz que empresta sua imagem à personagem faz idéia do que o autor de “Meu Bem, Meu Mal”, Cassiano Gabus Mendes, reservou para ela. No início da trama, Lídia Brondi, 31 anos, acreditava num final romântico e feliz de Fernanda com o romântico e às vezes bobo André Manfrini, papel de Marcos Paulo.

Mas com o desenrolar da história, a atriz, que começou a carreira aos quinze anos, passou a apostar num romance com o galanteador personagem de Cássio Gabus Mendes, que leva o nome de Doca ou Eduardo Costa Brava. “Os dois têm uma antipatia pelo outro fora do normal. Isso tem cara de paixão. Só que nenhum dos dois tem a coragem de confessar e admitir isso”, sustenta, acrescentando que os dois estão ficando muito íntimos, abrindo caminho para uma atração fatal. “Mas tudo é possível, até mesmo ela terminar sozinha”, pondera a intérprete.

Caso Fernanda não encontre a sua cara metade no diretor da Venturini Designers, André, não será por isso que Lídia Brondi e Marcos Paulo – também atuando conto diretor da novela – não concretizarão o desejo do público de vê-los juntinhas e apaixonados. Se o governo Collor não baixar outro pacotão até meados do ano, os dois atores pretendem realizar um antigo projeto:

“A gente espera estrear uma peça, mas os incentivos estão ficando cada vez mais escassos. Se tudo correr bem, eu e Marcos vamos viver no palco um casal moderno, que se conhece num apartamento e se apaixona profundamente”, adianta a atriz.

Com o novo espetáculo, Lídia espera viajar por esse Brasil afora como fez com a peça Descalços no Parque, dirigida pelo seu ex-marido e atual namorado Ricardo Waddington, com quem teve Isadora, de 6 anos de idade. “Eu e Ricardo temos agora uma relação de amor”, frisa ela.

Fonte: Acervo TV-Pesquisa da PUC-Rio.

Anúncios