A edição da “Playboy” em que Lídia Brondi aparece de microshort na capa foi recorde absoluto de vendas na primeira metade dos anos 80.

Mesmo sem tirar a roupa para esta edição (ela só sairia nua na “Playboy” de agosto de 1987), Lídia Brondi transformou a capa de julho de 1980 em um recorde, que só foi quebrado em dezembro de 1985.

A histórica capa desta “Playboy” com Lídia Brondi vendeu 530 mil exemplares (um número alto para a época). Quem derrubou o recorde foi a atriz Cláudia Raia, em dezembro de 1985, que tinha estourado no país como a Ninon da novela “Roque Santeiro”.

O recorde consta no livro “1985: o ano em que o Brasil recomeçou”, de Edmundo Barreiros e Pedro Só, lançado em 2005.

Recentemente, este blog publicou o conteúdo da revista no post “Na ‘Playboy’, mas com roupa”.

Abaixo, a capa que foi recorde de vendas de 1980 a 1985:

Anúncios