Na edição 2081 (8 de outubro de 2008), a revista “Veja” publicou uma matéria sobre televisão com o título “A vida sexual das heroínas”.

A reportagem cita as mocinhas que ajudaram a revolucionar o papel das heroínas nas telenovelas, derrubando o tabu de que as mulheres só iam para cama por amor, com apenas um parceiro e depois de casadas.

Entre as personagens citadas está Solange, papel de Lídia Brondi em “Vale Tudo”, que marcou época por ter bancado uma produção independente. A matéria diz:

“Dos anos 80 para cá, as novelas ganharam em realismo. Em Vale Tudo (1988), a mocinha interpretada por Lídia Brondi não só se permitiu ter mais de um homem: ela também arranjou um filho em esquema de ‘produção independente’.”

Para conferir a matéria completa, clique aqui.

Anúncios