Lídia e Fábio Jr. em foto para a revista “Manchete”.

O ano de 1987 foi bastante movimentado para Lídia Brondi. Feliz com seu papel em “Corpo Santo”, sua primeira novela fora da Globo, ela vibrava com o perfil de sua personagem na trama da Rede Manchete, a inesquecível repórter policial Bárbara Diniz. Além disso, fez outros trabalhos marcantes: o filme “Rádio Pirata” e o ensaio para a “Playboy”.

Naquele ano, a revista Manchete reuniu a atriz e seu amigo Fábio Júnior em uma entrevista exclusiva e reveladora. Dois anos após o sucesso da novela “Roque Santeiro”, em que formaram par romântico, Lídia e Fábio falaram sobre  carreira, família e vida.

Em um dos trechos, Lídia revela sua insatisfação com o papel de filha rebelde que fez em tramas globais, como em “Roque Santeiro”. Sobre esse momento, ela disse:

“Eu pensei: novela assim está difícil de fazer. A vida anda, minha realidade muda e eu continuo fazendo as mesmas coisas. Foi uma época difícil”.

Mesmo com todo o sucesso da novela “Roque Santeiro” e a repercussão do namoro proibido de Tânia Malta com o Padre Albano (Cláudio Cavalcanti), Lídia Brondi queria mais. Por isso, ir para a Manchete e fazer um papel diferente de tudo deixou a atriz tão feliz.

Clique nas imagens abaixo para ler a matéria na íntegra. O material foi gentilmente enviado por Lívio Augusto Rodrigues.

Anúncios