Raridade: uma fotonovela estrelada por Lídia Brondi

Lídia - FotonovelaAs fotonovelas, estilo muito comum nos anos 70, eram um atrativo a mais das revistas que falavam sobre a vida dos artistas. Atores e atrizes da televisão estrelavam as tramas contadas por meio de fotos e balões, como nas histórias em quadrinhos.

Lídia Brondi não ficou de fora dessa onda. Em 22 de junho de 1977, menos de 15 dias após a estreia de “Espelho Mágico” nas telas da Globo, Lídia, aos 17 anos, pode ser vista como Glorinha, sua personagem na fotonovela “Assim Nasce uma Estrela“.

A história, da Central Bloch de Fotonovelas, é ingênua e simples: fala sobre um grupo de jovens que busca vencer um festival de música na escola e alcançar a fama. Lídia faz a namorada do protagonista, interpretado pelo ator Tião D’Ávilla, que atuou em novelas como “Caminho das Índias” (Globo, 2009), “Ribeirão do Tempo” (Record, 2010), “Mulheres Apaixonadas” (Globo, 2003), “Tocaia Grande” (Manchete, 1997) e “Estúpido Cupido” (Globo, 1976), dentre outras.

N O T A : Há tempos, planejava colocar esse material aqui no blog. O Alperi Martins me enviou, pelos Correios, essa fotonovela com Lídia, em 2012. Infelizmente, nunca encontrei tempo de digitalizar o material. Até que o Césio Vital Gaudereto, do “Revista Amiga e Novelas“, que também tinha a fotonovela, publicou a história, em seu blog, na semana passada.

Agradecemos, sempre, a participação de pessoas como o Alperi e o Césio, que possuem essas raridades e estão sempre dispostos a dividi-las. Obrigado, Césio, pelo presente em seu blog, pelo trabalho de digitalizar e organizar esse tipo de material, e por manter em seu blog parte da história da TV, que, como consequencia, traz sempre algo sobre Lídia Brondi.

Confira o conteúdo completo da fotonovela (para visualizar alguns quadros, clique nas imagens para ampliar):

0102 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25

 

Dos tempos de “À Sombra dos Laranjais”

L583

A jornalista Maria Rosa Pecorelli ficou encantada com o jeito meigo, simples, alegre e agitado de Lídia Brondi, durante uma entrevista para a “Sétimo Céu“, de março de 1977. Foi assim que ela apresentou a jovem atriz em seu texto, publicado na edição de nº 54 da revista. Aos 17 anos, Lídia estava no ar como a doce Lúcia, da novela “À Sombra dos Laranjais“, de Benedito Rui Barbosa.

A reportagem relembra a infância e o início da carreira de Lídia, desde os tempos de teatro amador na igreja até o papel-título da série “Márcia e seus Problemas“, da TVE, personagem que ela interpretou por um ano e meio até ir para a Globo.

Uma curiosidade da matéria é que Lídia cita o interesse pela psicologia, profissão que ela assumiria anos mais tarde, ao deixar de ser atriz.

Dois momentos de Lídia em "À Sombra dos Laranjais": com Marcelo Picchi e o palhaço Toquinho.

Dois momentos de Lídia em “À Sombra dos Laranjais”: com Marcelo Picchi e o palhaço Toquinho.

O texto é ilustrado com fotos de João Silva, mostrando Lídia com o ator Marcelo Picchi e o palhaço Toquinho, seus companheiros de cena de “À Sombra dos Laranjais“.

A revista também citou o papel de Lídia Brondi em “O Grito“, mas errou ao publicar a foto. É que a imagem mostra Françoise Forton e não Lídia, em uma cena da novela, ao lado dos atores Walmor Chagas e Isabel Ribeiro.

O material faz parte do acervo de José Henrique Uessler e foi publicado no blog “Revista Amiga e Novelas“, do Césio Vital Guaudereto. Clique na imagem abaixo para ampliar e conferir a matéria na íntegra.

Revista Sétimo Céu n. 54 - Março de 1977 - Blog Revista Amiga e Novelas

Bastidores: gravação do acidente de Solange quase acaba em tragédia

AMIGA 964Em 1988, a revista “Amiga” estampou em sua capa a manchete “Lídia Brondi ameaçada de morte por causa de Cássio Gabus“. Claro, tratava-se de um dos acontecimentos da novela “Vale Tudo“, quando Fátima (Gloria Pires) e César (Carlos Alberto Ricceli) planejaram envolver Solange Duprat (Lídia Brondi), que estava grávida de Afonso (Cássio Gabus Mendes), em um acidente de carro.

A capa desta edição da revista “Amiga“, de 7 de novembro de 1988 (nº 964), foi gentilmente enviada pelo Césio Vital Guaudereto, do blog “Revista Amiga e Novelas“. Uma das reportagens que recheiam essa edição é a entrevista de Lídia Brondi com seu irmão Nehemias Rezende (ele assinava Nehemias Demutcha), que foi publicada aqui, em janeiro de 2011. O post, entitulado “Laços de Família“, rendeu ao blog um comentário do próprio Nehemias.

Os detalhes sobre a cena que movimentou o capítulo 153 da novela (o plano de César e Fátima para Solange perder seu bebê) também já foram publicados aqui no blog. Mas encontrei no acervo do “Revista Amiga e Novelas” uma outra matéria, desta vez da revista “Contigo!“, relacionada ao assunto. A reportagem falava da gravação da cena, que quase terminou em tragédia.

Lídia, tensa, entre o cinegrafista e Ricardo Waddington.

Lídia, tensa, entre o cinegrafista e Ricardo Waddington.

A atriz se divertiu com o dublê, que usou uma peruca sobre o capacete.

A atriz se divertiu com o dublê, que usou uma peruca sobre o capacete.

A atriz gravou cenas no carro, antes do acidente com o dublê.

Lídia Brondi gravou cenas no carro, antes do acidente com o dublê.

O dublê que dirigiu o Fiat 147, Waldemar Walnes, e o cinegrafista Custódio Santos Ferreira tiveram sorte de saírem com vida da gravação (leia detalhes na matéria). A reportagem mostra Lídia Brondi nos bastidores da gravação externa, ao lado do dublê, do cinegrafista e do diretor Ricardo Waddington, em momentos tensos e também de descontração.

Para ler a reportagem completa, clique nas imagens abaixo.

Image (72)Image (73)

Alô, Lídia Brondi?!

Image (108)A edição nº 968, de 5 de dezembro de 1988, da revista “Amiga“, trouxe uma reportagem sobre os recados que alguns artistas deixavam em suas secretárias eletrônicas. A matéria citou a gravação que Lídia Brondi deixava disponível para quem ligava para sua casa, naquela época em que estava no ar em “Vale Tudo”.

Leia o que a revista citou sobre ela: “A atriz Lídia Brondi é das mais recatadas em termos de recado, preferindo o gênero tradicional. ‘Ao ouvir o sinal, com seu nome, telefone e a hora em que ligou. Eu ligarei assim que puder, obrigada’”.

A matéria faz parte do acervo de Adilson Oliveira e foi publicada no blog “Revista Amiga e Novelas”, do Césio Vital Guaudereto. Para conferir a matéria na íntegra, clique AQUI.

“Dancin’ Days”: Verinha ataca de modelo

Image (115)As imagens desse post foram publicadas pela revista “Amiga“, em 1978. As fotos de Sérgio de Souza mostram Lídia Brondi como Vera Lúcia, de “Dancin’ Days“, na fase em que sua personagem dá uma guinada e torna-se modelo.

Depois de amargar o fim de seu namoro com Beto (Lauro Corona), Verinha (Lídia Brondi) irá dar a volta por cima. Além de encontrar um novo amor nos braços do quarentão Hélio (Reginaldo Faria), Vera Lúcia começará a tirar fotos como modelo e será contratada por uma marca de roupas.

Alguns de seus ensaios será ao lado de Ricardo (Osmar de Mattos) e seu trabalho despertará a inveja de Marisa (Gloria Pires), que insistirá em seguir a carreira da amiga.

Image (112)

As fotos deste post foram publicadas no blog “Revista Amiga e Novelas“, do Césio Vital Guaudereto.

Lídia Brondi em ritmo de aventura

SÉTIMO CÉU - Nº 300 - JUNHO - 1981 - Blog Revista Amiga e Novelas fotoNo auge do sucesso de sua Mira Maia, personagem rebelde da novela “Baila Comigo“, Lídia Brondi apareceu na revista “Sétimo Céu“, de junho de 1981. Na reportagem de Elda Storani, com fotos de Nilton Ricardo, a atriz analisou seu papel na novela, mostrou-se alegre e descontraída e falou de seu entusiasmo por aventuras.

A reportagem foi feita em um veleiro, como sugestão da revista, o que deixou Lídia um pouco amedrontada, inicialmente. Mas logo ela tratou de curtir o ambiente e contou sobre as suas aventuras da infância, sua paixão por viajar e pela dança.

O material faz parte do acervo de José Henrique Uessler e foi compartilhado pelo Césio Vital Guaudereto no blog “Revista Amiga e Novelas“. Confira a matéria abaixo (clique na imagem para ampliar).

SÉTIMO CÉU - Nº 300 - JUNHO - 1981 - Blog Revista Amiga e Novelas

Perfil falso continua enganando fãs de Lídia Brondi

Detalhe de imagem compartilhada por fãs: alerta sobre perfil falso.

Detalhe de imagem compartilhada por fãs: alerta sobre perfil falso.

Já publiquei aqui no blog sobre um perfil falso de Lídia Brondi no Facebook. Apesar da denúncia de algumas pessoas, a página fake ainda continua sendo atualizada e enganando uma série de fãs da atriz. Com a reprise de “Dancin’ Days“, a página ganha novas curtidas a cada dia.

Há uma corrente de outros fãs tentando mobilizar e informar sobre essa mentira. Para isso, foi criada a página “Lídia Brondi não tem face. Não seja enganado por perfil falso“. Se possível, peço aos leitores do blog que curtam essa página que busca avisar que o perfil “Lídia Brondi Oficial” é fake.

O engraçado é que muitas pessoas, mesmo sabendo que NÃO É a Lídia Brondi, continuam curtindo e comentando uma página fake, que pode, inclusive, interferir no trabalho da ex-atriz que virou psicóloga. Uma pena! Talvez Freud explique essa obsessão de algumas pessoas em ser “amigo” de algum famoso nas redes sociais, mesmo sabendo que trata-se de um perfil falso.

A canastrice do(a) farsante é óbvia, mas muitos preferem não acreditar. Tomara que a própria Lídia entre com uma ação de investigação e que a pessoa possa responder criminalmente pela página. Insisto em informar as pessoas por achar desagradável o perfil falso de alguém que admiro e por já ter sido questionado, por diversas vezes, se eu sou o autor do perfil enganador (claro que não sou eu).

Se puder ajudar, compartilhe, avise aos seus amigos que, por ventura, curtam a página fake. É desagradável ver algumas pessoas sendo enganadas e saber que alguém usa o carisma de Lídia Brondi para ganhar algumas curtidas pelo mundo virtual. Freud explica.

Lídia Brondi: “Vou fundo em tudo que faço”

Lidia_revista-hitpop-poster

Ela era uma jovem de 17 anos quando roubou a cena na novela “Espelho Mágico” e se destacou como uma das grandes promessas da televisão. Em 1977, um ano antes de estourar em “Dancin’ Days“, Lídia Brondi viveu Beatriz, filha dos personagens de Tarcísio Meira e Glória Menezes, na trama escrita por Lauro César Muniz.

Ao lado de grandes estrelas do horário nobre, a jovem Lídia passou a ser capa de diversas revistas. Em uma delas, voltada para o público jovem, ela surgiu de figurino provocante e de biquini. Era uma das edições da revista “Pop“, que falava de TV e música.

Chamada de capa da revista "Pop", de 1977.

Chamada de capa da revista “Pop”, de 1977.

Na matéria, ilustrada por belas fotos e um pôster (imagem que abre esse post), Lídia Brondi falou sobre as mudanças de sua vida com a fama, as semelhanças com sua personagem na TV e sua convivência com pessoas de diferentes faixas etárias.

Clique nas imagens abaixo para ampliar e conferir a reportagem. O material foi gentilmente enviado pelo Lufe Steffen.

lidia.revistaPOP-01lidia.revistaPOP-02

Fechando a noite com Lídia Brondi em “O Beijo no Asfalto”

Lídia Brondi em "O Beijo no Asfalto"

Um dos clássicos de Nelson Rodrigues e do cinema nacional, o filme “O Beijo no Asfalto” é destaque da noite desta quinta-feira (13), na Mostra Bruno Barreto, no Canal Brasil. Na obra, Lídia Brondi interpreta Dália, uma jovem apaixonada por seu cunhado (Ney Latorraca).

No filme, Lídia mostra sua desenvoltura interpretando um personagem do universo rodriguiano (é um dos trabalhos dela que mais curto). Dirigido por Bruno Barreto, o filme ainda conta com Daniel Filho, Christiane Torloni, Thelma Reston e Tarcísio Meira.

Confira outras belas imagens de Lídia Brondi em cena no filme, de 1981:

Lídia Brondi em "O Beijo no Asfalto" Lídia Brondi em "O Beijo no Asfalto" Lídia Brondi em "O Beijo no Asfalto" Lídia Brondi em "O Beijo no Asfalto"

Uma curiosidade do filme: Dália (Lídia Brondi) assistindo "Água Viva", novela que está sendo reprisada pelo Viva,Na foto acima, uma curiosidade do filme: Dália (Lídia Brondi) assistindo “Água Viva“, novela que está sendo reprisada pelo Viva, com Arandir (Ney Latorraca) e Selminha (Christiane Torloni) ao fundo. O filme foi gravado em 1980 e lançado no ano seguinte.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 56 outros seguidores